quarta-feira, 25 de setembro de 2013

O "Rock"do ROCK IN RIO 2013

Rock in Rio repete sucesso entre públicos de todas as idades


Por Bruno Eduardo


O rock é e sempre será movido pela alma. O rock é um estilo musical de origem africana (sim, é verdade!) mas que ganhou o mundo nas Américas e Europas da vida. Ou seja, é a demonstração clara de ser algo universal. O rock inspira a juventude, e é também uma fonte de juventude para os nãos joviais. O rock não é limpinho. Ele não é bonitinho. Ele não usa maquiagem para poder ser comprado na esquina (ou não deveria). E qual seria o "rock" do Rock in Rio?

O SUCESSO ROCK IN RIO!

Mais uma vez, o Rock in Rio provou ser um bem-sucedido investimento. Tomando de vista a proposta da produção e a expectativa da mídia/público, é inegável o sucesso da edição. Segundo estimativas da Riotur, o Rock in Rio gerou um impacto na economia da cidade de mais de R$ 1 bilhão, atingindo uma média de 90% de ocupação dos quartos da rede hoteleira carioca. Outro grande termômetro que provou o sucesso do festival,  foi a quantidade de Rock in Rio Club vendidos: mais de 10 mil pessoas adquiriram o cartão para o evento que acontecerá apenas em 2015 - sem nenhuma banda anunciada. Com taxa de adesão de R$ 95, o Rock in Rio Club dá benefícios como 20% de desconto na compra de produtos na loja oficial do Rock in Rio, além de pré-venda garantida para o festival. A partir de agora a venda acontece apenas no site oficial (www.rockinrio.com.br). 

SINAL AMARELO

Na posição de cobrir o rock em todas as suas vertentes, é certo que torçamos pela ampliação de programas destinados ao gênero e ao seu público. Esperamos apenas, que a força da marca não desintegre um elemento tão importante para um festival dessa grandiosidade: o comprometimento artístico - de desbravamento / introdução / importação - na montagem do seu cast. Pois ficou evidente nessa edição, uma preocupação excessiva do Rock in Rio em fazer a vontade de um público específico. Um perigo para a biografia do evento, que já serviu de inclusão musical para algumas gerações de roqueiros - principalmente nas edições de 1985 e 1991. Talvez as únicas ousadias da produção, se deram pelas mãos de Zé Ricardo - que promoveu um excelente cast no Palco Sunset -, ou na presença de nomes como Muse de headliner no dia 14, Ghost B.C. (mesmo com show irregular) no dia do metal, e na inclusão do "véio" Bruce Springsteen em noite para fãs de John Mayer. De resto, foi bater ponto!

O "público Rock in Rio"

O "público rock in rio" comprou a ideia de que o palco é apenas um atrativo a mais (ou a menos). Não é por acaso, o local é o supra-sumo do entretenimento para os jovens de hoje em dia.  A Cidade do Rock é um parque aberto, com seu próprio shopping center - sem falar nos brinquedos: montanha russa, roda gigante e a fantástica tirolesa. Visto tamanha quantidade de opções para entretenimento em um local tão atraente, tenha se desenhado um novo público modelo, cada vez mais distanciado do palco. Para o "público rock in rio", o interessante é curtir o "EU FUI" - nem que isso signifique assistir bandas como Capital Inicial nas últimas 3 edições, tocando o mesmo repertório; nem que isso signifique aturar tributos mal ensaiados - mas quem se importa? A Grã-Bretanha fica logo ali na esquina (Rock Street).

ROCK IN RIO 2015

A edição de 2015 já está confirmada. Duas alterações estruturais serão feitas em relação ao evento deste ano: a diminuição da capacidade do público em 5.000 (passando agora ao total de 80.000), e a mudança do local destinado ao Palco Sunset - que pela concorrência popular, ficou "pequeno" naquela região próxima à montanha Russa.


Os 10 MELHORES shows do Rock in Rio 2013. 



0 comentários:

Postar um comentário