sexta-feira, 20 de setembro de 2013

ROCK IN RIO 2013 - BRUCE SPRINGSTEEN

Foto: Bruno Eduardo
Histórico: The Boss brinda fãs com íntegra de Born in the USA


Por Bruno Eduardo

Bruce Springsteen fez por escrever mais um importante capítulo na história do Rock in Rio. O festival, que andava carente de shows marcantes – presentes em quase todas as edições brasileiras -, teve no seu penúltimo dia, um dos grandes momentos vividos em sua biografia.

Aos 64 anos de idade, Bruce Springsteen – o “Boss”, como é chamado mundo afora – deu exemplo de vitalidade e, principalmente, feeling, em uma apresentação de quase três horas ininterruptas. À frente de uma banda irretocável (E Street Band), o músico entrou ao som de “Sociedade Alternativa” de Raul Seixas - número também exibido em São Paulo, dias atrás - seguida da melodia contagiante de “Badlands”. Em contrapartida, era notório a debandada do público no início da apresentação – formado em sua maioria, por fãs de John Mayer (um dos shows mais monótonos do Rock in Rio).

Em bom português, ele anunciou a grande surpresa: “Hoje teremos uma noite especial aqui no Rio. Vamos tocar Born in The U.S.A. inteiro!”. Para delírio da maioria presente, ele já emendou a faixa-título - que é certamente o seu sucesso mais conhecido entre todas as gerações – seguida de todas as outras 11 canções que compõem o disco de 1984. Do citado, vale destacar as versões de “Cover Me” – com direito a dobradinha de guitarra com Steven Van Zandt – e "I'm Going Down". Em um dos grandes momentos da noite, a execução de “Spirit in The Night” contou com a interatividade da plateia – elevando o coro de “all night”. Bruce não economizou energia, descendo do palco diversas vezes para ir de ao encontro a galera colada na grade. Numa dessas oportunidades, subiu na mureta e cantou junto com os fãs. A relação íntima que ele mantém com o público ficou comprovado em dois grandes momentos: chamou uma fã para tocar violão com ele no palco, e deu o microfone para um garoto de 10 anos – que cantou os versos de "Waitin’ On a Sunny Day” à capela. “Twist & Shout” – canção imortalizada na voz de John Lennon – e a obra-prima “Born To Run”, deram caráter apoteótico ao show – com fogos estourando antes do tempo.

Na volta para o bis, ele cantou "This Hard Land" – um B-side do disco Born in The U.S.A. -, e pediu desculpas ao público por ter demorado tanto a voltar ao país. “Isso não vai acontecer de novo! Eu prometo!” – declarou emocionado. Uma coisa é certa: o público que ficou até o fim, vai cobrar a promessa!

0 comentários:

Postar um comentário