quinta-feira, 19 de setembro de 2013

ROCK IN RIO 2013 - SEPULTURA

Foto: Bruno Eduardo
Sepultura repete parceria bem sucedida com tambores franceses


Por Bruno Eduardo

A parceria que já tinha sido conferida (e aprovada!) na edição passada do Rock in Rio (em 2011), foi justamente revista em alto e bom som - dessa vez no palco principal. “Até que enfim chegou o dia do Metal, p...!” – comemorou o guitarrista Andreas Kisser, após o grupo entorpecer a Cidade do Rock com o clássico do disco Chaos A.D., “Refuse/Resist”. 

A química entre o Sepultura e o Tambours du Bronx não chegou a surpreender - pelo fato de ser uma fórmula já repetida em outrora -, mas o mesmo não se pode dizer do som! O volume dos PA’s estava no máximo – inclusive abafando o fim da apresentação de Rob Zombie, que acontecia no palco Sunset. E que união de elementos! A impressão que fica ao assistir o show, é que a percussão francesa faz parte do grupo desde sempre. Para quem desconhece a carreira da banda, pode não saber que o Sepultura sempre teve tendências à batidas tribais – vide álbum “Roots”, de 1996 -, e talvez por isso, a fórmula tenha encontrada tamanha cumplicidade.
 
O massacre sonoro ganhou nível de intensidade sem conotação - na execução de “Sepulnation”, e na versão para “Firestarter” do grupo Prodigy. Houve espaço também, para quatro músicas de autoria do Tambours Du Bronx – com destaque para “Big Foot”. Após fazer a cidade do Rock tremer ao som de “Territory”, o Sepultura finalizou com “Roots Bloody Roots”, a sua primeira apresentação no Rock in Rio 2013 – o grupo tocaria ainda no útimo dia, no Palco Sunset, ao lado de Zé Ramalho.    


[Matéria publicada originalmente por Bruno Eduardo no Portal Rock Press]

0 comentários:

Postar um comentário