Header Ads

test

Dave Matthews Band traz excelência musical lapidada e sugere otimismo em "Come Tomorrow"

DMB retorna em grande estilo em seu nono disco de estúdio
Por Bruno Eduardo

O lançamento de Come Tomorrow, nono disco de estudio do Dave Matthews Band, chega para consagrar o grupo como um fenômeno atemporal - principalmente no que diz respeito a sua relevância. Afinal, esta é o sétima vez consecutiva que um disco da banda alcança o topo da Billboard logo na primeira semana - sendo também a melhor performance de vendas de um álbum de rock em quatro anos. 

Desde 1991 na estrada, o DMB mantém por décadas sua fórmula inabalável ao longo do tempo sem qualquer demonstração de esgotamento ou morosidade artística. Tanto que não é difícil reconhecê-los neste universo musical de oferta arreganhada e descartável, onde tudo se confunde facilmente. A emoção vocal crua de Matthews, apoiada por uma banda que o complementa com a mesma categoria de uma orquestra clássica, é uma combinação vencedora e duradoura. E felizmente, esta combinação está aqui presente em Come Tomorrow, como esteve em quase todos os seus discos lançados. 

Come Tomorrow é um lançamento mais maduro e solto que seu antecessor (Away From The World), e percorre por uma estrada que impõe otimismo diante das adversidades da vida. Cheio de riffs cativantes, imagens amorosas e riquezas melódicas, esta é divinamente a mesmíssima banda que os fãs adoram ver em cima do palco. E é sempre bom lembrar: há pouca coisa tão expansiva musicalmente nos dias de hoje quanto um show do Dave Matthews Band. Nem mesmo a ausência do genial violinista Boyd Tinsley (que aparece nos créditos apenas em "Idea Of You") foi capaz de impactar o resultado deste ótimo retorno.

Das quatorze faixas presentes no disco, apenas cinco são realmente inéditas aos fãs - as outras já haviam sido apresentadas em shows. Mas tudo soa fresco, já que as versões de estúdio de todas as canções chegam lapidadas na exuberância costumeira do grupo, causando uma nova - e agradável - experiência ao ouvinte. Um bom exemplo deste primor, é a divindade sonora "Can't Stop", que reúne fácil, décadas de excelência da banda - é daquelas faixas que você implora por um alongamento instrumental, só para ver o grupo curtindo em cima de todas as suas virtuosidades. 



A faixa de abertura "Samurai Cop" é outra que merece destaque, trazendo todas as sutilezas e emoções que o disco reserva. É um convite generoso ao melhor dia que você poderia ter. O rock também está aqui, contido, de forma que você reconheça a assinatura do grupo, como em "She", outra boa pedida do álbum. Já “Here On Out” pode ser considerada uma jam exuberante, que ganha um reforço perfeito na faixa seguinte: "That Girl Is You", que fala de amor, um tema recorrente em toda carreira da DMB. 

No entanto, Come Tomorrow se concentra em capacitar os ouvintes para um futuro melhor. É uma mensagem oportuna num mundo tão cínico, e que potencializada pela interpretação infalível de seu narrador, nos convence que realmente tudo depende exclusivamente de nós. E aliada a isso, há um grande conjunto de canções. 

É por resultados como esse, que mais uma vez, a Dave Matthews Band surge com um novo disco sem precisar fazer qualquer alarde para gerar interesse de seus seguidores. Afinal, eles continuam garantindo-se exclusivamente na qualidade de sua boa música, algo que soa meio que à moda antiga num mundo onde a propaganda fala mais alto que o conteúdo. E é exatamente por isso que este disco é tão essencial nos dias de hoje.
Cotação:

Nenhum comentário: