quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Steve Vai fala com exclusividade sobre show no Rock in Rio, nova turnê e disco novo

Foto: Adriana Vieira
Steve Vai fez a guitarra falar no Rock in Rio ao lado da Camerata Florianópolis

Por Bruno Eduardo

Steve Vai fez ao lado da orquestra Camerata Florianópolis um dos números mais interessantes e audaciosos do Rock in Rio [saiba como foi AQUI]. Essa foi a primeira vez do guitarrista no festival, e que com certeza ficará guardada por muito tempo na memória dele e do público que esteve presente no Palco Sunset. Muito gentil, Vai recebeu o Rock On Board no camarim, e falou com exclusividade sobre a emoção em tocar neste evento e sobre o desafio de se apresentar com uma grande orquestra. O guitarrista ainda prometeu uma turnê de comemoração aos 25 anos de seu disco mais famoso, Passion And Warfare.

Essa é foi a sua primeira vez no Rock in Rio. Qual a sensação?


Essa foi provavelmente a maior coisa que eu já fiz. Tocar algo tão particular para essa quantidade de pessoas é inacreditável. Quando a organização me convidou a fazer um show com a Camerata Florianópolis, que tem mais de cinquenta músicos no palco, eu pensei: Isso é um sonho! E é uma orquestra realmente muito boa! Acho que o som ficou muito apropriado. Mas eu queria que as coisas dessem certo porque o público brasileiro é louco por música, e merecia algo incrível.

E como é a experiência de tocar com uma grande Orquestra?

Bom, geralmente as orquestras tocam apenas a minha música. E minha música é difícil às vezes. A maioria das orquestras são muito duras, muito materiais, clássicas demais. Você me entende? Com isso, eu acabo tendo que trabalhar nesse sentido de ajudar a reger o show. 

E qual a diferença da Camerata Florianópolis para as outras que você já tocou?

Eles possuem virtudes que eu considero importantes para formar o que seria um tipo de orquestra boa para mim. São jovens, entusiasmados, aventureiros, e muito corajosos. Isso é muito importante para que um show dê certo. Além, lógico, de serem ótimos músicos também. 

Foto: Adriana Vieira
O guitarrista falou com exclusividade ao Rock On Board no camarim do Rock in Rio

Você esteve esse ano aqui no Brasil divulgando o seu workshop. Fale sobre esse projeto.

Eu venho fazendo isso por dez anos, eu acho. Eu conto alguns segredos da guitarra. Geralmente, faço sessões com 20 pessoas, onde utilizamos algumas de minhas "backing tracks" e vamos extraindo o melhor de cada participante. Mas eu não falo só sobre técnicas de guitarra com eles. Falo sobre como você pode achar a sua própria criatividade, como você pode ser realmente bom na sua carreira. Porque isso é o mais importante.

Passion And Warfare está completando 25 anos. Nele, está o hino "For The Love Of God". Qual a importância deste álbum para sua carreira?

Este é o disco mais importante da minha carreira, acredito. Porque além de vir de uma fase bem antiga, ele tinha música muito diferenciada, excessiva e com vários tipos de guitarra. Eu vejo ele hoje de uma forma bem especial, musicalmente falando. Mas pelo sucesso que obteve naquela época, eu acho que foi realmente o trabalho mais importante da minha carreira.

Você pensa em fazer alguma turnê de celebração ou algo parecido para comemorar?

Sim. Eu estou planejando uma turnê para o próximo ano. Nesses shows eu vou tocar o álbum inteiro ao vivo. Além disso, vamos lançar uma edição especial do álbum. Que terá 3 discos, sendo um deles o original remasterizado, um outro que fiz na estrada entre o "Flex-Able" e o próprio "Passion And Warfare", e um DVD.

Foto: Adriana Vieira
Steve Vai, tranquilo e bem humorado durante a entrevista no camarim do Rock in Rio
Cobertura #rockinrio2015
Curtiu a nossa cobertura oficial Rock in Rio? Curta a nossa fã page no facebook e siga @rockonboard no twitter e instagram.

Um comentário:

  1. Tomara que ele venha para o Brasil novamente. Quero tocar com ele de novo !!!

    ResponderExcluir