sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

SHOWS: Sublime With Rome proporciona noite californiana no Rio

Foto: Rafael Koch Rossi

Por Rafael Rodrigues 

O Rio viveu uma noite de quinta-feira puramente californiana. A atmosfera de verão peculiar à cidade maravilhosa, misturada ao som diversificado da banda de ska/ punk rock/ reggae/ hardcore agradou os cerca de dois mil e quinhentos espectadores, que se divertiram e relembraram o melhor do Sublime (With Rome), extinta banda que deu origem a este projeto. 

Rome Ramirez, escolhido para assumir os vocais - após a morte do vocalista original, Bradley Nowell, em 1996 - fez com que o público presente no Citibank Hall não se sentisse órfão de Brad. Aliás, o vocalista atual mostra um timbre muito semelhante ao do finado antecessor. Analisando o público presente, podemos dizer que a grande maioria não tinha sequer nascido quando Brad faleceu de overdose - e esse é o maior barato do Sublime, mesmo sendo WITH ROME. A atmosfera juvenil das músicas continua atingindo a molecada e trazendo interesse - ainda mais em um período em que o público anda cada vez mais carente de boas bandas contemporâneas

Abrindo com "Date Rape", clássica do álbum debutante, de 1992, a banda desfilou um repertório cheio de energia, que contou até com um cover de Bad Religion, "We're Only Gonna Die (From Our Own Arrogance)". Não faltaram canções que fizeram parte do auge do Sublime, como "Wrong Way" e "Badfish". Rolou também uma excelente versão de "Smoke Two Joints", da banda de reggae The Toyes

Algo que está ficando corriqueiro nos palcos brazucas [leia a resenha do Foo Fighters em São Paulo] e que também aconteceu neste show, foi um pedido de casamento em pleno palco. Ah... Sim, a pretendente aceitou!

Após quase duas horas de sonzeira (incluindo várias rodas punks),  a banda chegou ao ponto alto no final da apresentação com as tão esperadas "What I Got" e "Santeria" - para delírio da galera do skate e surfe, maioria esmagadora no Citibank Hall.

0 comentários:

Postar um comentário