sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Floor Jansen lidera Nightwish em noite de renovação no Circo Voador

Foto: Bruno Eduardo


Por Bruno Eduardo

Meninas espremidas na grade; outras penduradas nas estruturas da arquibancada superior; e muitos desmaios, lágrimas e emoção transbordada. Seria difícil imaginar, que em plena segunda-feira, o Circo Voador pudesse estar completamente abarrotado. 

Tamanha era a concorrência, que os fãs improvisavam da maneira que podiam, novos setores na casa - as cadeiras do bar acabaram se tornando degraus para a galera de trás, e para os que não conseguiram espaço na lona, foi arrumado um novo "telão" na área externa. 

Com set list renovado e fortemente baseado no último álbum Imaginaerum (lançado em 2011), o Nightwish apresentou ao público uma nova cartilha musical - introduzindo-os à um universo renascentista, e deixando de fora alguns clássicos da fase mais tradicional.

Evidente que tal escolha veio como tentativa de afastar o fantasma de Tarja Turunen (e suas viúvas). Afinal, Tarja é realmente uma cantora extraordinária, e implantou um estilo próprio na praça. Desde a sua saída, o Nightwish vem em luta constante pela manutenção de seu legado - apostando em novas sonoridades, roupagem criativa e alternância de repertório. Porém, esta noite, de nada adiantariam subjetividades, se à frente do grupo não existisse a figura exuberante de Floor Jansen - um mulherão, literalmente. Carismática, e com amplo domínio de palco, a ex-vocalista do After Forever comprovou sua fama de "boa de palco" com uma performance vigorosa. Seu desempenho em músicas como "Ghost Love Score" ou "Nemo", colocam Anette Olzon em total esquecimento.

Entre a cover de Gary Moore, "Over the Hills and Far Away" e a estupenda exibição do instrumental "Last Of The Wilds", o grupo passeou de forma direta - dispensando a virtuose que domina o estilo - pelo palco do Circo Voador. Tal número apresentado, se adéqua perfeitamente a fase de reverência cinematográfica de Tuomas Holopainen, e, crava de maneira magnífica um ponto de interrogação quanto ao futuro da banda. 

Há uma crescente necessidade por parte dos fãs, em receber algo mais básico - longe de toda a produção apoteótica e literária de Imaginaerum -, o que no entanto, acaba indo de contra-partida ao formato imposto pelo grupo em sua nova formação. 

De uma coisa é certa: a escolha pelo script futuro já estará bem encaminhada se Floor Jansen estiver no papel principal. 

0 comentários:

Postar um comentário