Últimas

Post Top Ad

Your Ad Spot

Queridinhos de Iggy Pop, False Heads segue cartilha grunge em debut: punk juvenil e barulhento

False Heads: banda é uma das revelações da cena punk britânica

False Heads
It's All Real But You're Dreaming
⭐⭐⭐ 5/5
Por  Bruno Eduardo 

Para quem teima em dizer que o punk ficou no passado, eis aqui um desmentido enfático. Não é de hoje que os antenados de plantão estão alertando que é lá na terra da rainha que você pode encontrar novas bandas de rock aos montes. Recentemente, falamos aqui do novo álbum do Strange Bones [leia AQUI] e aproveitamos a carona para desenhar toda uma ramificação existente nos cantos britânicos para quem procura novidade. E é exatamente nessa que surge o False Heads e o seu tão esperado álbum de estréia. 

Quando citamos o punk rock juvenil como tema principal da conversa, podemos dizer que o False Heads tem sido, de muitas maneiras, uma das pontas de lança dessa nova onda de sonoridades que dominam essa afortunada geração, que incluem nomes como Eagulls, The Editors, Idles e Royal Blood. Tomando como base essa expectativa, podemos dizer que este It's All There but You're Dreaming é uma estreia bem-sucedida e que mostra todas as características que o grupo sempre mostrou ao vivo, inclusive chamando a atenção de Iggy Pop, que rasgou elogios aos rapazes.
 
Sonoramente, muita gente pode descrever o som do False Heads como uma banda bastante influenciada pelo Nirvana ou pelas bandas do grunge que bebiam no garage rock e no punk. Embora exista mesmo essa referência, principalmente pelos vocais zumbidos de Luke Griffithse e nas muitas linhas de baixo melancólicas de Jake Elliott, podemos dizer que há muito mais raiva aqui do que nas melodias tensas de Cobain. Ouça "Slew" ou "Ink" e entenda o que estamos falando. De todo modo, seria muito simplório dizer que o som dos caras fica enraizado apenas ao grunge ou ao garage. Há muito daquele punk noventista e do pós-punk americano em faixas como "Steady On Your Knees", que é carregada por uma linha de baixo que parece ter sido gravada por Greg K do Offspring, de tão característica. 

O baixo é realmente o instrumento que domina esse trabalho, principalmente quando o mosh pit é sugerido ("Slease"). Mas são das guitarradas do disco que o False Heads mostra a raiz de sua proposta. E é nessa onda que surgem as ótimas "Wrap Up" - com influência explícita do garage atômico de bandas como Truckfighters - e a nirvânica "Come At The King". Justificando a máxima das máximas, o melhor fica para o final: "Rabbit Hole" finaliza o álbum com um riff que deixaria Kim Thayil (Soundgarden) e Buzz Osborne (Melvins) orgulhosos.

Mesmo sendo a estreia de uma banda nova, It's All Real But You're Dreaming é um álbum notavelmente maduro e que soa como um grito de alerta aos equivocados que teimam em sepultar as novas gerações. Aqui tem punk rock juvenil, sim senhor! hashtag ficaadica.

Post Top Ad

Your Ad Spot