sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Rock in Rio 2015: System Of A Down promove catarse coletiva na Cidade do Rock

Foto: Adriana Vieira
O concentrado Serj Tankian liderou o SOAD no melhor show da noite
Por Bruno Eduardo

Fechando a noite de quinta-feira (24), o System Of A Down levou o público ao êxtase com a sua mistura insana de heavy metal + outras dezenas de gêneros musicais. A banda ficou no palco por pouco mais de uma hora e meia, e desfilou canções de todos os seus discos, promovendo uma verdadeira retrospectiva da carreira.

O início do show foi marcado pelo baixo volume dos PA's - ainda mais depois de um ensurdecedor Queens Of The Stone Age. Essa falta de ganho sonoro ficou evidente na curiosa "I-e-a-i-a-i-o" (escolhida para abrir a elétrica apresentação) e na pancada desgovernada "Attack". Mas aos poucos o som se ajeitou e público começou a se embalar, ainda mais porque a banda não demorou muito para descarregar sua munição de sucessos radiofônicos - como "Aerials" e "BYOB". 

Mesmo com a grande agitação do público, a banda mantém uma performance reservada. Impressionante como Serj Tankian incorpora perfeitamente a teoria do "menos é mais". O cara não usa roupas espalhafatosas ou especiais, não tenta roubar a cena com discursos para plateia, e nem é tão performático ao ponto de dar trabalho para seguranças de palco. A forma que canta, dança e curte o show é de uma concentração que contrasta com o repertório musical apresentado. Até mesmo Malakian parece mais comportado - não lembra de longe o possuído guitarrista que interpreta clipes como "Chop Suey", por exemplo. Mesmo assim, o som que eles emitem é intenso e contagiante.

Foto: Adriana Vieira
O guitarrista Daron Malakian esteve bem mais comportado neste show
Músicas inflamadas como "Bounce", "Needles", e "Psycho" parecem ter sido realmente feitas na medida para o público de grandes arenas - que pula, dança, poga, e canta a plenos pulmões. Vale destacar a inclusão da ótima "Vicinity Of Obscenity" - uma espécie de heavy metal com Frank Zappa (?), presente no álbum Hypnotize - e os milhares de celulares ligados na balada "Lonely Day". 

Três músicas deram o toque frenético que marca o fim das apresentações do quarteto: "Cigaro", "Toxicity" e "Sugar" - a segunda contou com a participação de Chino Moreno dos Deftones, que se apresentara antes no Palco Sunset [leia a resenha AQUI].

Mesmo sem lançar nada há dez anos, e nem oficializar uma volta de forma definitiva, o System Of A Down comprova em cada reunião com os fãs que o legado está devidamente mantido. Pelo menos foi isso que aconteceu nesta segunda participação do grupo no Rock in Rio. Showzaço.


Cobertura #rockinrio2015
Continue ligado na nossa cobertura oficial Rock in Rio. Curta a nossa fã page no facebook e siga @rockonboard no twitter e instagram.

5 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá amigo, obrigado pela participação e pela leitura. Corrigido!

      Excluir
  2. Captou minha opinião: eles provam que não precisa de pirotecnia se a sua música é intensa 100% do tempo!

    ResponderExcluir
  3. Showzaço, dificilmente alguma banda fará algo melhor.

    ResponderExcluir
  4. Showzaço! Sem dúvida o melhor show do RIR até agora!

    ResponderExcluir