Rock in Rio: Fã de heavy metal, Jack Black faz show divertido com Tenacious D

Jack Black mostra o símbolo do heavy metal para os fãs [Foto: Adriana Vieira]
Por  Bruno Eduardo 

O Tenacious D foi talvez a maior surpresa do palco mundo nesta edição do Rock in Rio. O grupo liderado pelo ator Jack Black acabou entrando no festival de carona com o amigo Dave Grohl e se saiu bem, deixando de presente uma apresentação divertida e cheia de referências ao heavy metal.

Na verdade, o grupo ganhou popularidade em 2006 após o lançamento do filme, Tenacious D in: The Pick of Destiny, que conta a história da banda - com a adição de vários elementos fictícios. Por isso, os shows são repletos de teatralidade, como o público teve a oportunidade de conferir no Rock in Rio. Com um castelo inflável no palco e muitas imagens no telão, Jack Black e Kyle Glass conquistaram o público com simpatia e boa música.

É importante ressaltar, que embora o Tenacious D seja um projeto liderado por dois atores cômicos, com letras irreverentes e temas inusitados, o som deles é fundamentado num hard rock padrão com tendência ao metal. Tanto que eles fazem homenagens a figuras como Ronnie James Dio, na música "Dio". "O maior cantor de heavy metal da história", afirma Black antes de anunciar a canção.

A verdade, é que a maioria das músicas presentes no repertório possuem riffs pesados, com vocais típicos do metal, como guturais e agudos. Esse é o caso da ótima "Beelzebos", que fala de um duelo entre a dupla do Tenacious com o próprio demônio (interpretado no filme pelo próprio Dave Grohl). Outra que traz remissão ao gênero é "The Metal", com título sugestivo e refrão que remete a outro cantor lendário do gênero, Rob Halford.

A apresentação contou ainda com a participação especial do baixista Junior Groovador, que chamou atenção após ter um vídeo viralizado nas redes sociais. O músico de Natal subiu no palco para tocar uma versão de "Smells Like Teen Spirit" do Nirvana e depois retornou no final para ser novamente apresentado por Jack Black. 

De negativo, apenas aquela já batida e descartável apresentação individual de cada integrante, antecipando a ida de alguns para o Palco Sunset, onde começaria em seguida o Whitesnake. Mas no final, o resultado foi melhor do que o próprio Jack Black esperaria ter um dia.

Bruno Eduardo

Jornalista e repórter fotográfico, é editor do site Rock On Board, repórter colaborador no site Midiorama e apresentador do programa "ARNews" e "O Papo é Pop" nas rádios Oceânica FM (105.9) e Planet Rock. Como crítico cultural, foi Editor-chefe e colaborador do Portal Rock Press, e colunista do blog "Discoteca" da editora Abril. Desde 2005 participa das coberturas de grandes festivais como Rock in Rio, Lollapalooza Brasil, Claro Q é Rock, Monsters Of Rock, Abril Pro Rock, Summer Break Festival, Tim Festival, entre outros. Na lista de entrevistados, nomes como Black Sabbath, Aerosmith, Queen, Faith No More, The Offspring, Linkin Park, Legião Urbana e Titãs.

1 Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem
SOM-NA-CAIXA-2