Header Ads

Liderados por Steve Harris, British Lion toca com energia de sobra em Circo Voador esvaziado

Steve Harris e a energia de sempre no palco do Circo [Foto: Amanda Respicio]
Por Leo Coutinho

Parece que todas as pessoas que cercam Steve Harris possuem energia de sobra pra iluminar uma cidade inteira por pelo menos 3 dias. Estamos acostumados a ver o baixista correndo pelos palcos do mundo comandando o Iron Maiden em suas explosivas atuações, e com a British Lion, banda paralela de Steve, não foi diferente.

Num Circo Voador bastante esvaziado, parte pela chuva e parte pela falência que a cena rock and roll do Rio de Janeiro amarga atualmente, a banda começou show com a famosa pontualidade britânica as 22h. Sem a estrutura gigante do Iron Maiden, a British Lion coube tranquilamente no palco do Circo Voador, mas, mesmo cabendo, era notório que Steve Harris é grande demais para palcos menores. Enquanto os acordes de "This Is My God" eram tocados com grande competência por toda banda, Steve já mostrava a disposição de sempre correndo de um lado ao outro do palco, cavalgando seu baixo e cantando junto a Richard Taylor.

A competência da banda, inclusive, é admirável! Apesar de não ter uma voz super potente, o vocalista Richard Taylor é afinado e animado. Os gigantes Grahame Leslie e David Howkins se entendem muito bem com as melodias das guitarras e Simon Dawson é forte e preciso na bateria, formando muito bem a cozinha com o boss.

Com apenas um álbum lançado, esperava-se que o British Lion tocasse covers do Iron Maiden, o que não aconteceu. A verdade é que o segundo álbum da banda está prestes a ser lançado e a banda se fez valer dele, soltando apenas músicas autorais. E o público abraçou o British Lion. A todo momento cantando e vibrando com os membros da banda, o público, mesmo em pequena quantidade, em momento algum pediu qualquer música do Maiden.

Taylor é um bom frontman. Comanda o público com competência e se comunica muito bem. Disse que é um sonho realizado visitar e tocar no Rio de Janeiro pela primeira vez. Entre músicas do álbum de estreia British Lion (2012) e novos sons que estarão presentes no álbum a ser lançado em 2019, a banda foi super cordial e atenciosa com os fãs, conversando, gesticulando e convidando os presentes a se integrarem ao British Lion como se fossem membros da banda.

Perto do final, Taylor informa que o momento do bis chegou, mas que a banda não vai sair e voltar pro palco, vai apenas continuar tocando mais um par de músicas. E foi o que aconteceu. Finalizando com a belíssima "Eyes Of The Young", a banda ganhou o pequeno mas quente público presente e está claro que Steve Harris tem o Toque de Midas e conhece de cor a fórmula para fazer um bom show de heavy metal.

Nenhum comentário: