sexta-feira, 17 de junho de 2016

Discos: Red Hot Chili Peppers (The Getaway)

Foto: Divulgação
Chili Peppers voltam renovados com o expressivo "The Getaway"
RED HOT CHILI PEPPERS
"The Getaway"
Warner Records; 2016
Por Bruno Eduardo


Ah sim, os Red Hot Chili Peppers. Esses caras já foram a banda mais quente do planeta. Por mais de uma década, eles ofereceram ao mercado uma coleção de compotas férvidas com batidas picantes e muita obsessão sexual. Com o passar do tempo, a pimenta foi perdendo a ardência e o grupo se acomodou nas prateleiras do grande mercado. Mesmo assim, eles sempre tiveram uma caraterística própria, reservada por uma sonoridade única até mesmo nos momentos menos inspirados.

O 11º álbum da banda - e segundo com o guitarrista Josh Klinghoffer, que substituiu o cultuado John Frusciante - é cheio de surpresas. Ele mantém foco numa dinâmica mais delicada - sonoramente falando - e sugere uma profunda exploração de novas variações melódicas, mas sem perder a essência musical do quarteto. Mesmo não tão enérgico quanto os trabalhos anteriores, 'The Getaway' pode ser considerado um avanço na carreira dos Chili Peppers. Pela primeira vez sem Rick Rubin em 25 anos, o grupo precisou se desgarrar das heranças musicais de seu antigo produtor e deixou que Danger Mouse apresentasse novas trincheiras a serem exploradas. O resultado não poderia ser outro: um conjunto de canções corajosas e bem acabadas, onde o foco são os ouvidos e não os quadris.

Essa mudança de roupagem fica logo evidente no primeiro single, "Dark Necessities", que mesmo soando como algo já visto em discos como Stadium Arcadium ou By The Way, possui uma interessante incursão de novos elementos. Um piano para lá de elegante salta aos ouvidos após causar um colapso sonoro ao funky quadrado da canção. Outra que também soa bastante nostálgica é "Goodbye Angels" - talvez por trazer um Josh mais influenciado pelas levadas delicadas e sempre efetivas de Frusciante. A faixa ainda ganha um upgrade no baixo nervoso - e cheio de distorção - de Flea. Já a ruidosa "This Ticonderoga" é punch como nos tempos áureos do divino Mother's Milk

O novo e o "véio" RHCP se encontram de forma sublime em canções como "We Turn Read", "Go Robot" - esta incrementada por teclados espaciais - e o rock blues de "Detroit". Há também algumas participações especiais, como a de Elton John e Bernie Taupin na ótima "Sick Love". De acordo com Kiedis, a música foi inspirada numa canção de John, gravada nos anos setenta. Com isso, decidiram convidá-lo a gravar o piano. Mas nada no disco pode ser comparado aos dois números finais. Cheia de pianos e com ritmo arrastado, "The Hunter" é a ousadia que faltara ao grupo em muito tempo. Já "Dreams Of Samurai" segue na mesma vibe, só que introduzido pela levada cheia de destreza do sempre criativo, Chad Smith.

Após passar por mais uma série de problemas particulares, os Chili Peppers conseguiram renascer de forma refinada pelas mãos de Danger Mouse. Antes de qualquer coisa, "The Getaway" é um disco de coração aberto - em que o grupo consegue retratar de forma honesta o período de incertezas e perdas vividas por seus integrantes. Sob nova direção e envolvidos por esse turbilhão de sentimentos, eles voltam à praça com o disco mais expressivo da banda nos últimos tempos.

0 comentários:

Postar um comentário