sexta-feira, 13 de junho de 2014

DISCOS: RATOS DE PORÃO (SÉCULO SINISTRO)

RATOS DE PORÃO

Século Sinistro

Bruak Records; 2014

Por Luciano Cirne






O tempo passa, o tempo voa, e o R.D.P. está cada dia mais sujo e agressivo! Apesar de nunca ter parado de fazer shows, João Gordo e seus asseclas não lançavam um CD de inéditas há 8 anos. O último foi “Homem Inimigo do Homem”, de 2006 - se descontarmos o split EP com a banda grindcore espanhola Looking For An Answer e a coletânea de sobras de estúdio e faixas raras de 2012 “No Money, No English”. 

Pelo visto, os acontecimentos recentes do Brasil deixaram eles inspirados e um novo disco acabou por se fazer necessário: Temos letras vociferando contra a repressão policial nos protestos (“Conflito Violento”); a Copa do Mundo (“Grande Bosta”); o povo que faz justiça com as próprias mãos e sai espancando bandidos por aí (“Sangue e Bunda”, que conta com a participação no mínimo inusitada do porquinho de estimação do João Gordo, Atum, fazendo grunhidos dignos de um filme de terror – mas podem ficar tranquilos, a banda garante no encarte que o suíno não foi maltratado... ainda bem!); gente que se expõe nas redes sociais postando tudo o que faz (“Viciado Digital”); além de contar com um cover corretíssimo dos punks suecos do Anti-Cimex (“Progeria of Power”, que tem na guitarra o ilustre convidado Moyses Kolesne, do Krisiun). Tudo obviamente tocado na velocidade da luz, distorção no talo e gritado furiosamente por João Gordo, que diga-se de passagem, evoluiu muito como letrista (“Boiada pra Bandido” é com certeza uma das melhores letras que o Ratos de Porão já fez), além de estar cantando de um modo mais claro na maioria das músicas, provavelmente porque elas estão muito mais puxadas para o metal do que para o crust dos álbuns anteriores. 

O único senão é que, como eles vieram de uma série de discos praticamente perfeitos (“Carniceria Tropical”, o EP “Guerra Civil Canibal”, “Onisciente Coletivo” e o “Homem Inimigo do Homem”), a comparação com os mesmos acaba sendo inevitável e TALVEZ "Século Sinistro" acabe ficando um pouco obscurecido frente aos demais. Quem é fã do RDP já sabe o que esperar e não vai se decepcionar, mas se você nunca ouviu a banda - tem algum roqueiro que se preze no Brasil que ainda não o fez?? -, posso dizer que 'Século Sinistro' é um ótimo cartão de visita.

0 comentários:

Postar um comentário