sábado, 19 de outubro de 2013

KORN - Monsters Of Rock 2013

Com repertório oscilante, Korn foi o único medalhão a trazer novidades


Por Bruno Eduardo

Em dia dedicado ao nu-metal, não poderia faltar o grande percussor do estilo. Se bandas como Faith No More, Rage Against The Machine e Pantera são as matérias primas do gênero, o Korn foi o primeiro a difundir de maneira própria, o que um dia viria se chamar “Metal ADIDAS”. 

Para quem não sabe, o grupo lançou seu primeiro álbum em 1994 – mesmo disco que traz a clássica “Blind”, que abre a apresentação no Monsters Of Rock Brasil. A sequência com “Twist”, do cultuado Life is Peachy, parecia sugerir um show de caráter saudosista – assim como fez o Limp Bizkit, e também faria mais tarde, o Slipknot. Mas em dia marcado por shows mais pesados, ou de escolhas óbvias dos principais headliners, o Korn remou contra maré, e decidiu manter sua ideologia atual, com flerte ao eletrônico e passagens soturnas - marcada por sua fase mais recente, como na música "Coming Undone" (do álbum See You on the Other Side, lançado em 2005).
   
Coincidentemente, a temperatura também caiu no local - beirando aos 14ºC - e o show que estava um pouco morno, ganhou alta voltagem na versão de "Roots Bloody Roots" do Sepultura - contando com a presença especial de Andreas Kisser e Derrick Green. Para acabar de satisfazer os fãs, nada melhor que relembrar o melhor disco da carreira (Follow The Leader) com uma paulada dupla: "Got The Life" e "Freak on a Leash".

Empolgando ou não, o Korn fez uma apresentação mais comprometida - sonoramente falando - do que os outros grupos que se apresentaram no primeiro dia de Monsters. Faltou apenas o feelling.

[Matéria publicada originalmente por Bruno Eduardo no Portal Rock Press]

0 comentários:

Postar um comentário