Header Ads

test

Três não é demais! Eddie Vedder pega carona com Pearl Jam e apresenta shows solo em SP

Vocalista do PJ faz três shows solo em São Paulo
O Pearl Jam faz sua quinta passagem pelo Brasil no fim do mês de março, apresentando-se no Rio (21) e no Lollapalooza (24). Eddie Vedder resolveu aproveitar sua estada por aqui e apresentar seu show solo. Com as duas primeiras noites com ingressos esgotados, foi aberta uma terceira data. Mas será que não é demais? Não. E eu tento responder abaixo o porquê.

O show solo do cara é absolutamente diferente do show da banda. Com um clima predominantemente intimista, Eddie privilegia covers de bandas e cantores de seu gosto pessoal, sua carreira solo e, quando toca Pearl Jam, o faz com sua versão mais crua, uma versão diferente de si mesmo na banda.

Assim como os shows da banda, o setlist do solo é muito diversificado. Portanto, se você realmente é fã e está disposto a ir aos três dias e mais às apresentações da banda é bem provável que seja agraciado com uma enxurrada de músicas diferentes. Poucas bandas no mundo e cantores são capazes de alterar tanto um setlist de uma apresentação para a outra como Eddie Vedder faz em seus shows, sejam solos ou com a banda. 

Eddie é um ser humano em evolução. Quem o acompanha desde o início da sua carreira percebe isso. De um músico totalmente recluso, se tornou um boa praça, amigo de celebridades e muito menos carrancudo e reclamão. Talvez seja, entre os astros do rock atual, junto com Dave Grohl, um dos caras mais legais. Quando que você, que conhece ele desde os anos 90, imaginaria vê-lo cantando na cerimônia do Oscar, justo o cara que declarou guerra à Ticketmaster e esnobou um Grammy no recebimento de sua premiação?! Sim, como diz a música, o cara descobriu que é “melhor ser alegre que ser triste”.

Ele se reinventou também como músico. Com extrema sensibilidade, letras profundas e arranjos muito mais intimistas, Eddie alcançou um nicho mais maduro de fãs. Hoje não é apenas um astro do finado rock de Seattle, mas uma referência cult para um público mais exigente.

Eddie é um discípulo de Chris Cornell. Para quem já viu o show solo do falecido vocal do Soundgarden e gostou, Eddie segue a mesma linha de apresentação, sempre trazendo musicistas de alta qualidade para o acompanhar em suas apresentações. Não deixa de ser um tributo ao grande amigo, falecido precocemente no ano passado.

Fazer cinco shows no Brasil mostra que o cara tomou gosto por nossa terra e pelo público. Ao contrário de alguns astros que esnobam a América do Sul, ele tem se sentido mais à vontade a cada passagem. 

Para fãs, não percam essas oportunidades. Não, três shows solos dele não são demais. Se possível, vá aos dois da banda também. Eddie Vedder, na versão banda ou solo, não é algo trivial, e muito menos repetitivo.

Estamos diante de um dos ícones do rock, e lembre-se, estes estão indo embora com uma rapidez terrível. Para você que não entende esse messianismo em torno do cara, está aí uma grande oportunidade de entender.  Quem sabe vendo as duas versões, solo e banda, você também não vire um fã. As chances são grandes, aviso de antemão! 

EDDIE VEDDER NO BRASIL
Datas: 28, 29 e 30 de Março.
Local: Citibank Hall
Endereço: Av. das Nações Unidas, 17.955 - Vila Almeida - São Paulo
Ingressos [apenas dia 30]:
Plateia Superior: R$ 180,00
Plateia Superior III: R$ 300,00
Plateia Superior I e II: R$ 350,00
Poltrona II: R$ 600,00
Cadeira II e Poltrona I: R$ 720,00
Cadeira I: R$ 820,00
Camarote II: R$ 850,00
Camarote I e Cadeira VIP: R$ 880,00

Nenhum comentário: