terça-feira, 24 de outubro de 2017

Entrevista Megadeth: Kiko Loureiro fala sobre shows no Brasil, relação com Mustaine e novo disco da banda

Formação original do Megadeth com o guitarrista Kiko Loureiro
Por Bruno Eduardo

O Megadeth chega ao Brasil nos próximos dias para finalizar a turnê do seu último trabalho de estúdio e que rendeu um Grammy, "Dystopia". Essa será a segunda passagem da banda pelo país com a turnê, mas a primeira vez no Rio de Janeiro com o guitarrista Kiko Loureiro, que conversou por telefone com o Rock On Board [assista na íntegra AQUI]. "A gente vai finalizar a turnê do 'Dystopia', que foi lançado em janeiro de 2016. Na verdade a gente só vai estar repetindo São Paulo. O Rio é novidade. Tem muito tempo que o Megadeth não toca no Brasil e eu fico muito feliz de poder tocar na minha cidade natal", disse.

A entrada do brasileiro parece ter dado um gás na banda, que conseguiu feitos históricos, como seu primeiro Grammy e uma das turnês mais extensas da carreira. Nas contas de Loureiro, foram mais de 150 shows em pouco mais de um ano, onde ele destaca os shows ao lado do Scorpions, com direito a apresentação no Madison Square Garden. 
"Para mim foi demais essa turnê com os caras do Scorpions. Foi um dos momentos mais felizes da vida poder jantar com Rudolf Schenker. Eu falei para ele: 'cara, o motivo de eu estar aqui hoje tocando guitarra foi aquele show de vocês no Rock in Rio" - Kiko Loureiro. 
A turnê com a banda alemã deveria encerrar a turnê, mas o convite para tocar em dois festivais na América do Sul (incluindo o Monsters Of Rock na Argentina), deu ao grupo a oportunidade de poder voltar ao Brasil, principalmente ao Rio, já que a banda não incluiu a cidade em sua primeira perna da turnê por conta das olimpíadas de 2016. "O set do palco será um pouco diferente do que os fãs assistiram no ano passado e o repertório terá algumas mudanças também. Obviamente as músicas mais lendárias e icônicas sempre estarão no set, como qualquer banda que tenha uma história grande, mas também vamos tocar algumas músicas diferentes do passado e do presente do Megadeth", garantiu.


O álbum 'Dystopia', unanimidade entre fãs e crítica, levou o Megadeth a sua melhor colocação nas paradas desde os anos noventa, superando 'Youthanasia' (lançado em 1994). O disco estreou na terceira colocação com quase 50 mil cópias vendidas na primeira semana. E qual teria sido a real contribuição do brasileiro no disco? Será que foi fácil ele se encaixar no estilo mais thrash da banda? Loureiro ressalta que os toques de Dave Mustaine foram fundamentais para ele conseguir colocar seu estilo no álbum. "O Dave tem um jeito diferente de tocar e eu aprendi muito com ele para ser mais Megadeth na hora de gravar. Principalmente na hora de gravar. Agora nos shows também. Pra tocar as músicas antigas ele me dá vários toques, do lance da pegada mesmo né? Porque eu sempre fui um cara mais variado no que diz respeito a estilo de tocar guitarra. Muito mais preocupado em tocar mais limpo, mais técnico. O Dave é o contrário. Ele tem um punk rock no jeito dele de tocar o thrash", explica. 

Mas ele faz questão de frisar também, que o líder da banda o deixa à vontade para dar ideias e trazer um pouco do seu estilo. "Ele me dá os toques sobre o conceito da banda, que já tem uma estrada enorme e é natural que eu tenha que me encaixar no conceito. Mas eu também posso dar minha opinião, e me sinto totalmente à vontade para falar", afirma. Kiko Loureiro aproveitou também para falar de sua relação com Mustaine, comentando inclusive sobre um vídeo que virou meme nas redes sociais [assista abaixo], onde recebe um olhar fulminante durante uma brincadeira no estúdio.
"A minha relação com o Dave é muito tranquila. Ele é um cara super exigente, super profissional e super ligado em tudo que está acontecendo. Então você tem que ficar esperto e entregar as coisas na melhor qualidade possível. Eu também tenho a minha fama de exigente, mas isso é normal para quem quer fazer o melhor. Mas comigo ele é tranquilo".

"Esse vídeo é muito engraçado. Eu nem sou um cara de fazer muita brincadeira, mas o clima era tão sério que eu era o cara que dava um relax lá. Tentei descontrair um pouco no estúdio, para trazer um momento mais leve, já que o clima de gravação é muito tenso às vezes. Na verdade, eu até hoje não sei se ele me olhou sério ou se ele estava brincando também (risos)" [sobre o vídeo acima].
Feliz de estar na banda, Kiko fez questão de desmentir os boatos que rolaram nas redes sociais de que ele tinha saído do Megadeth. "Cara, aquilo me deixou muito chateado. Eu estava tendo os meus filhos no momento e totalmente off. Fiquei com medo do pessoal achar que eu tinha realmente desistido de seguir em frente com eles", e classificou a situação como uma brincadeira de mau gosto de um fã clube do grupo, do qual ele faz questão de não citar nem o nome. Inclusive, ele já projeta o futuro com Megadeth, no qual garante ter em vista novo material para o próximo ano. "A gente deve focar em material novo para o ano que vem pois a turnê acabou se estendendo. Então o ideal é estarmos focados em 2018 para um novo lançamento.

O Megadeth toca em São Paulo no dia 31 de outubro e segue no dia seguinte para o Rio de Janeiro (01 de novembro), onde não se apresenta desde 2013, quando abriu para o Black Sabbath na Apoteose. A abertura dos shows é da banda Vimic, que conta na sua formação com o ex-baterista do Slipknot, Joey Jordison.

Confira abaixo a entrevista na íntegra no "Alô Rock"

SÃO PAULO
Data:  31 de outubro de 2017, terça-feira
Local: Espaço das Américas 
Endereco: Rua Tagipuru, 795, Barra Funda - São Paulo - SP
Horário do evento: 22h 
Abertura dos portões: 19h30
Classificação etária: 18 anos
Valores:
Pista Premium:  Lote 1- Inteira R$360 /Meia entrada R$180 
Pista: Lote 1- Inteira R$200 /Meia entrada R$100 
Mezanino: Inteira R$400 / Meia entrada R$200 

RIO DE JANEIRO
Data: 01 de Novembro de 2017, quarta-feira (véspera de feriado)
Local: Vivo Rio
Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 - Parque do Flamengo
Horário do evento: 22h 
Abertura dos portões: 20h
Classificação etária: 18 anos. Menores de 18 anos entram acompanhados dos pais/responsáveis.
Atenção: para setores com mesa, a compra de um ingresso garante um assento na mesa selecionada, mas não em uma cadeira específica. Os assentos são ocupados por ordem de chegada. 
Valores:
Camarote A: R$360
Camarote B: R$280
Balcão: R$240
Frisa: R$300
Pista Vip Lote 1: R$360
Pista Vip Lote 2: R$400
Pista Vip Lote 3: R$440
Pista Lote 1: R$180
Pista Lote 2: R$200
Pista Lote 3: R$220

0 comentários:

Postar um comentário