terça-feira, 4 de julho de 2017

"Colunas", novo livro do jornalista Pedro de Luna, é uma analogia urgente da cena alternativa

Livro será lançado no dia 14 de julho em Niterói com shows de bandas
Por Bruno Eduardo

Uma leitura urgente e necessária. Em um mundo muito mais virtual do que presencial, onde eventos bombam nas mídias sociais e quase sempre "flopam" na hora de fechar as contas, o livro "coLUNAs", do jornalista Pedro de Luna, chega para relembrar uma época onde tudo realmente acontecia e dava certo nas pistas do rock alternativo. A motivação inicial do escritor foi documentar algo que hoje parece impensável para um jovem de 16 anos de idade: a integração social e cultural sem a ajuda da internet. 
"A gente precisa preservar a memória da sociedade, seja ela no aspecto cultural e esportivo, que é o caso do livro. Mas a preocupação da obra não é apenas documentar, mas também analisar os tempos, para que assim gere uma reflexão dos leitores e consequentemente alguma reação, e, principalmente: atitude!", afirma.
Sexto livro de Pedro de Luna, “coLUNAs” compila e analisa textos assinados pelo próprio escritor nos últimos 20 anos, por meio de suas colunas mais famosas: a "Fique LIGado", inspirada na cultuada "Rio Fanzine" - editada por Tom Leão e Carlos Albuquerque no Segundo Caderno de O Globo - e em outra que levava o seu nome, já no final da década passada. A obra chega para tentar mostrar as principais mudanças no esporte e na cultura desde meados dos anos noventa.

Sempre muito antenado às tendências da cena alternativa, Pedro enxergou no livro, uma oportunidade de fomentar opiniões e quem sabe, encontrar respostas para esse novo circuito, tão castrado e abandonado por essa nova geração. "Achei que seria interessante trazer isso à tona num momento de apatia cultural que a gente vive hoje". O escritor aproveita o assunto e cita como exemplos de retração cultural o antigo Bedrock - casa de shows que agitava o circuito niteroiense e que hoje não existe mais - e o movimento Arariboia Rock, que luta anualmente para conseguir apoio e fazer valer seu festival. 
"O Bedrock simboliza muito bem o sinal desses tempos. Uma casa que recebeu os principais nomes do rock nacional nos anos noventa, como Planet Hemp, Raimundos, Charlie Brown Jr., O Rappa e Pavilhão 9, hoje está demolida e o terreno está preparado para subir um novo prédio. Com isso, a gente vê que vinte ano depois, a própria memória da cidade vai sendo literalmente demolida", lamenta. 
A coluna "Fique LIGado" foi publicada justamente no dia em que o Planet Hemp tocaria no (falecido) Bedrock, em Charitas, e o show teve cobertura da equipe do fanzine Shape A, entre eles o fotógrafo Emerson Pinto − hoje conhecido como DJ Nepal. A partir dali, Pedro noticiaria não apenas shows, mas também campeonatos de surf e bodyboard, festas, debates, filmes, convenções de tatuagem e tudo que estivesse ligado à cultura alternativa no Rio de Janeiro. Motivado pela coluna e pelo zine, Pedro formou um raríssimo banco de imagens de skate e shows da cena underground no período de 1996 a 1998, que estão no livro coLUNAs - que será lançado no próximo dia 14 de julho, por comemoração ao Dia Mundial do Rock.

Mas será que suas colunas ainda funcionariam nos dias de hoje, com esse universo de informações descartáveis e opiniões seletivas que vivem as redes sociais? Pedro acredita que sim. Para ele, ainda existe um nicho de pessoas realmente interessadas na propagação dessa cultura alternativa. Mas também ratifica que as colunas deveriam ser muito mais opinativas, com análises embasadas e bem menos factuais, já que para ele, existem muitas colunas egocêntricas nas grandes publicações, com muitas opiniões pessoais e pouca informação. "O meio a meio seria o ideal", acredita. 
"Se o cara não está na sua rede de amigos, ele pode não ver uma postagem sua. E mesmo aqueles que fazem parte, nem sempre conseguem te acompanhar, já que há uma avalanche de postagens ao mesmo tempo nas redes sociais e nem sempre dá para acompanhar tudo"
O lançamento do livro coLUNAs, distribuído pela sua própria editora (Ilustre), será no dia 14 de julho no Convés, em Niterói, com shows das bandas Pedro Marzano, Projeto Secreto e Gilber T & Os Latinos Dançantes. O livro estará a venda por R$ 40 (no dinheiro ou no cartão).

Lançamento do livro coLUNAs
Sexta−feira, 14 de julho de 2017, das 22h às 03h.
Show com as bandas Pedro Marzano, Projeto Secreto e Gilber T & Os Latinos Dançantes. DJs da Rootscidade antes, depois e nos intervalos.
Convés − Rua Cel. Tamarindo 137, Gragoatá, Niterói. Telefone: 3026−6321.
Censura: 18 anos.
Ingresso a R$ 20. Livro a R$ 40.
Informações: 97161−7575 Camilla e 98626−6690 Pedro.
www.facebook.com/nomundodoLUNA

0 comentários:

Postar um comentário