terça-feira, 7 de março de 2017

Em noite de chuva e clássicos, Ace Frehley mostra que ainda está pronto para o Kiss

Foto: Eduardo Nicolau (Estadão)
Ace Frehley empolgou fãs na sua primeira turnê solo em SP
Por Karla Beltrani

Em grande estilo, a casa de shows Tom Brasil recebeu na noite deste domingo (5) um público variadíssimo (desde a garotada mais jovem, como pais acompanhados de seus filhos) para assistir ao show do aclamado guitarrista e ex-integrante do Kiss, Ace Frehley, que retorna a São Paulo depois de dezoito anos - a última vez foi com o Kiss na Pyscho Circus Tour em 1999.

Para este show solo, o guitarrista trouxe uma banda de apoio com músicos extremamente competentes. O show contou com muitos clássicos do Kiss e claro, da carreira do guitarrista também. Para quem está acostumado com as apresentações de sua ex-banda, podemos dizer que os efeitos foram mais pontuais, como gelo seco saindo da guitarra de Ace Frehley e luzes, nada muito produzido, nem pirotécnico. Mesmo assim, acompanhado de sua inseparável Les Paul, Ace hipnotizou seus fãs com solos e refrões inesquecíveis.

O show começou por volta das 20h15 ao som do clássico "Rip It Out", do primeiro disco solo, de 1978, quando Ace Frehley ainda estava no Kiss, mas o melhor estava por vir, “Parasite” com certeza a música mais esperada pelos fãs, levando o público a loucura. E seguiu com sucessos e clássicos como: "Love Gun", "Strange Ways" e "Rock Soldiers". Destaque para o baixista Chris Wyse, que chamou a atenção do público numa exibição técnica e ultra-rápida de seu instrumento, onde fez citações particulares a algumas das bandas mais amadas dos roqueiros, como Black Sabbath, Iron Maiden, e - claro - Kiss. 

Em "New York Groove", foi a vez de Ace Frehley deixar claro aos fãs que mantém a forma em dia e tem muito ainda para tocar! O mesmo podemos dizer do guitarrista Richie Scarlet, que teve seus momentos no show, cantando e duelando solos de guitarra com Ace. Já o baterista Scoty Coogan mostrou toda a sua versatilidade no palco, tocando muito bem, cantando e fazendo os backing vocals em várias músicas. O fato, é que a interação entre os músicos da banda falou alto durante toda a apresentação. Com quase duas horas de show, o repertório chegou ao final com uma seqüência inquestionável: "Shock Me", "Cold Gin", "Detroit Rock City" - esta cantada pelo baterista da banda - e encerrando o show, "Deuce".

Apesar de seus 65 anos de idade, Ace Frehley mostrou que está em plena forma e deu aos fãs o que eles queriam: um show cheio de energia. Agora nos resta torcer e esperar por uma possível reunião com a banda mais quente do mundo!

0 comentários:

Postar um comentário