sábado, 18 de outubro de 2014

Circuito Banco do Brasil: Linkin Park faz show mixtape e leva fãs ao delírio

Foto: Eduardo Magalhães
Chester Bennington mostrou boa forma nessa nova visita ao Brasil

Dias antes, alguns amigos iniciavam uma discussão nas mídias sociais sobre a inclusão do Linkin Park no gênero "rock". Algo que soa meio contraditório nos dias de hoje, mas que ganha fundamento quando você percebe que a metade do show dos caras é determinada por inserções de pick ups. Tal questão rende um debate interminável - passando por relatividade cultural, ponto-de-vista, tradição e merchandising - sem que ninguém chegue a um consenso. 


Porém, o que podemos afirmar com a certeza dos fatos, é que o Linkin Park sabe se apropriar do rock. O som deles é tipo um venon, uma mutação (im)previsível entre guitarras ultra-pesadas (em afinação baixa) e excesso de samples. Como é de ser, essa mistureba "moderninha" não desce na goela dos mais tradicionais. Não há solos de guitarra; não há letras de caráter revolucionário; e não há cabelos sacudindo ao vento. Para piorar a coisa, há um DJ no palco e um guitarrista que toca com fone de ouvido(?). Pode não ser rock para alguns, mas é um grande show!


Mesmo divulgando o novo, e elogiado The Hunting Party, o grupo deu uma calibrada sagaz no repertório com duas pancadas de seu disco mais famoso (Hybrid Theory) logo no início da apresentação: "One Step Closer" e "Papercut". 


O Linkin Park não mediu esforço para satisfazer seu enorme fã-clube. Com exceção de "Crawling", a banda enfatizou por completo os sucessos absolutos da carreira: "Somewhere I Belong", do ótimo Meteora, e o mega-hit "In The End" regeram a multidão que lotou a Esplanada do Mineirão. Músicas como "Leave Out All The Rest" e "Numb" comprovaram a recuperação vocal de Chester Bennington - que andou "escorregando" em sua última visita ao país, dois anos atrás. O grupo também injetou nova energia em músicas já bastante conhecidas pelo público - como pôde ser visto na versão vitaminada de "Faint".


Já o bis foi digno de um mixtape: "Burn it Down", "New Divide", Points Of Authority, "Until it's Gone", "What I've Done" e "Bleed it Out" rolaram sem pausa até o solo de bateria de Rob Bourdon - que deu toques finais ao número. 


Entre o modernismo e a tradição acanhada, o show desta noite serviu para evidenciar que o Linkin Park continua desafiando o rock tradicional como poucos fizeram nos últimos quinze anos - os fãs agradecem.

Foto: Eduardo Magalhães

SETLIST
ACT !
  • Catalyst / Requiem Intro
  • Guilty all the same
  • Given Up
  • With you
  • One step closer
ACT II
  • Blackout
  • Papercut
  • Rebellion
  • Runaway
  • Wastelands
  • Castle of glass experience
  • Iridescent
ACT III
  • Robot Boy
  • Joe solo
  • Numb
  • Waiting for the end
  • Final masquerade
  • Mike solo
  • Dirt off / Lying for you
  • Somewhere I belong
  • In the end
  • Faint
ENCORE
  • Burn it down
  • Lost in the echo
  • New divide
  • MS rap
  • Until it´s gone
  • What I´ve done
  • Bleed it out

CIRCUITO BANCO DO BRASIL 2014

A primeia etapa do Circuito Banco do Brasil 2014 contou com 20 mil pessoas na Esplanada do Mineirão, em Belo Horizonte. O Circuito teve início com a primeira edição da Copa Brasil de Street Skate, realizada em parceria com a Confederação Brasileira de Skate. O vencedor foi Kevin Hoefler, que ganhou o prêmio de R$ 11.000,00. O segundo lugar foi de Rogerio Lopes “Febem”, com prêmio de R$ 8.500,00, seguido por Rodil de Araujo Jr “Ferrugem”, que recebeu R$ 6.500,00. A competição distribuiu o total de R$ 45.000,00 em prêmios para os 12 primeiros colocados.

Os shows começaram às 16h50 com a apresentação da banda Stereophant, vencedora do concurso VOZPRATODOS. Na sequência vieram as atrações brasileiras – Nação Zumbi e TitãsPanic! at the Disco e Linkin Park fecharam a noite com chave de ouro.

O Circuito Banco do Brasil acontece esse ano ainda em Brasília (19/10), São Paulo (01/11) e Rio de Janeiro (08/11). Saiba tudo sobre o Circuito Banco do Brasil AQUI.

0 comentários:

Postar um comentário